sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Foi assim

Quando me ligaste para almoçar foi impossível dizer que não. Combinamos no mesmo sítio de sempre e eu esperaria no mesmo lugar de sempre.

Enquanto acendia mais um cigarro, a espera dá cabo de mim, tentava imaginar-te. Chegarias perfeita na tua imperfeição cuidadosamente preparada. Estava certo disso.

Não me enganei. Atrasada chegaste, ou não serias tu. Corrias para mim, mala numa mão e o telemóvel noutra a tentar mostrar-me que irias ligar a dizer do teu atraso. Tão teu esses pequenos detalhes. O Cabelo caia-te para a cara. Nunca os tens perfeitos. Sabes disso, gostas disso. Eu também.

Esperei que chegasses até ao pé de mim. Inspirei o teu perfume. Agora sim, chegaste até mim.